poesia pra quem sabe quem é “DONA”

Escorreu três  gotas de esperanças do meu dia

Repeti como prece algumas palavras antigas

Alguns sorrisos lúcidos nos seus passos vivos

Uns goles de álcool nas minhas feridas

A seiva forte banha nosso inverno

E o imediato é o meu contrário

E a sua voz constante e indefinida

Me faz sonhar e lê o meu diario

Eu invento verdades que não se apresentaram

E tudo em nós parece combinar

Até os nossos pequenos descuidos acidentais

Ate nossa ânsia infinita de amar

Se eu me pareço com o espelho seu

É que a sua luz se espalha em mim

tocar sua mão transporta minha paz

A qualquer lugar que more no sem fim

Com a primeira letra do seu nome justo

Eu só consigo escrever noites

E algum palácio num planalto branco

Faz da saudade um milhão de açoites

1 pensamento em “poesia pra quem sabe quem é “DONA””

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *